CABOCO SIBAMBA NO ILÉ AŞÉ DO PAI-GEOVAŅO DE AJAGÙNNỌN

Conhecemos Rei Sibamba num Toque pra Rei do Mar no barracão do Pai-Geovano, em 09 de julho passado. Devido às imensas buscas por este assunto, ao que nos parece, uma novidade na rede e inaugurada pelo AfinBlog, a partir das palavras de Douglas de Oxalá, axogun do terreiro do Pai-Geovano, que nos relatou uma das histórias desse caboco alegre e festeiro e deitamo-na agora também aqui no AfinWordpress.

 

Caboco Sibamba é uma entidade, um espírito que antigamente, nos tempos antepassados, na época da colonização do Brasil, veio de Portugal para o Ceará ainda criança. Ao chegar aqui no Brasil, durante uma seca muito grande que teve, ele perdeu a mãe e ficou somente com o pai, que era dono de um bar. O pai bebia muito. Com dois anos de idade, o pai, na intenção de matar Sibamba, dava muita bebida pra ele beber. Mas em vez de morrer, ele cada vez bebia mais, e mais, e mais, e mais… até quando ele cresceu, o pai faleceu e ele ficou tomando de conta do bar. Sibamba bebia muito, mas nesta altura já era um grande catimbozeiro na linha Nagô, que significa “Rei de Magias”, que pode operar tanto na linha de cura quanto para fazer feitiço contra outros. E ele sabia usar as ervas, banhos de cura, fazia partos, era um ótimo parteiro, pegava dismentidura, costelas montadas, rezava em criança também. Então Sibamba ficou conhecido como o maior catimbozeiro do Ceará. Mas alguns, por inveja, despeito, quando descobriram que ele fazia tudo aquilo, deram um jeito de enganar Sibamba. Como ele gostava de beber, embebedaram tanto, tanto Sibamba até ele cair. Só conseguiram porque eram muitos. Aí mataram Sibamba. Passou o tempo e Sibamba foi preso na Encantaria. Devido a todas as curas que ele sabia fazer, Sibamba foi preso na Linhagem de Mestre, que são aqueles que podem cruzar com qualquer linha, seja Preto Velho, Exu, Caboco, Erê, Mina Nagô, Linha das Águas. E ficou conhecido na Umbanda como Rei Sibamba, rei dos bêbados, porque bebia demais e continua bebendo e fazendo cura e fazendo a alegria da festa…

11 thoughts on “CABOCO SIBAMBA NO ILÉ AŞÉ DO PAI-GEOVAŅO DE AJAGÙNNỌN

  1. Douglas,
    é verdade, tanto porque é um caboco sábio, alegre, sabe fazer as curas necessárias e gosta da festa, quanto porque é cultuado por Pai Geovano com o respeito que merece, por isso traz tanta graça e bênçãos a seu ilé.
    Axé!

  2. viva pai sibamba, por muita luz que nos guie, deus lhe abençõe e lhe de muita paz espiritual para auxiliar nesta terra.

  3. Gosto muito desse caboco ele já me ajudou e
    ajuda até hoje… pois conheço pessoa que
    recebe ele…. por isso estou pesquisando
    um pouco sobre a vida dele….

  4. Oi Sou Babalorixá Lucas de Odé, venho desde criança trabalhando com este meestre. Sou juremeiro desde 10 anos de idade, hoje tenho 19, e este mestre na minha vida é maravilhoso. Até hoje nao tenho do que reclamar, ele cura desde criança ate idosos, nao faz diferença e pra ele nao existe horario, pode ser de manha, ou madrugada, ele trabalha para qualquer que seja o problema… trabalho tambem com mestra Teresa, que tambem é uma entidade maravilhosa. agradeço a deus todos os dias por ter me dado a missao de cuidar do ser humano, com dosi mestres tao maravilhosos.
    peço licença por escrever, mas por onde vejo falando tao bem do mestre que trabalho eu me empolgo e acabo falando demais.
    muito obrigado
    atenciosamente
    Lucas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.